caso de estudo: Rede Belga converte 12 lojas biológicas para refrigerantes naturais com sucesso

Bio-Planet visa equipar todas as suas atuais 31 pequenas lojas com sistemas de refrigeração à base de propano até 2029, como parte dos ambiciosos objetivos de redução dos níveis de emissão de CO2 do grupo.

Sobre a loja

A Bio-Planet, que faz parte do Grupo Colruyt, é uma rede de lojas que oferece uma ampla variedade de produtos biológicos e ecológicos. Os seus pontos fortes são a zona de produtos frescos e a bancada de catering, que oferecem uma variedade única de carnes, queijos, produtos processados e produtos vegetarianos.

“A Bio-Planet pretende incentivar os seus clientes a viver com responsabilidade”, explica Collin Bootsveld, o Engenheiro de Projeto do Grupo Colruyt. “Como supermercado, a Bio-Planet pretende mais do que nunca fazer a diferença no mercado belga, graças a uma grande variedade, que prima pela saúde, ecologia e respeito. Oferece uma experiência na loja que simplifica a vida dos clientes ao mesmo tempo que os inspira. Além disso, a Bio-Planet continua a concentrar-se na inovação sustentável”.

Em julho de 2020, existiam 31 lojas biológicas Bio-Planet em toda a Bélgica, cada uma com uma área de cerca de 600 m2 e que empregam um total de 500 funcionários.

Uma escolha amiga do ambiente para a refrigeração

Em 2012, o Grupo Colruyt estabeceu um objetivo ambicioso: reduzir as suas emissões de CO2 em 20% até 2020, em comparação com o ano base (2008) e proporcional às vendas. Pretendem aumentar essa redução para 40% até 2030, confirma Bootsveld, o que estará alinhado com a missão da empresa de ter um impacto ambiental o mais reduzido possível. “Em 2029, todas as lojas Bio-Planet serão equipadas com sistemas de refrigeração natural, através da utilização de propano”, afirma Bootsveld.

Como tal, têm optado por uma unidade de arrefecimento à base de propano para armazenamento compacto, sempre que possível, em novas lojas ou em lojas antigas que precisam de renovação. O calor residual do sistema de refrigeração é recuperado para fins de aquecimento. Isto significa que as lojas precisam de pouco ou nenhum combustível fóssil para o aquecimento. Para sensibilizar os clientes, a Bio-Planet dispõe das principais medidas sustentáveis aplicadas em cada loja específica na entrada, para que todos possam ter conhecimento das mesmas.

Unidade de arrefecimento à base de propano para armazenamento compacto na Bio-Planet
Explicação sobre o sistema de arrefecimento à base de propano utilizado na Bio-Planet

(Recuperação de calor na loja; Esquema do Sistema de Refrigeração; Aquecimento; Arcas de Arrefecimento; Secção de produtos frescos)

Uma Escolha Natural

Nas lojas Bio-Planet é utilizada uma grande variedade de equipamentos à base de refrigerantes naturais. Estão incluídas unidades de arrefecimento à base de propano para armazenamento compacto, arcas frigoríficas com isobutano e bombas de calor de CO2 para aquecimento de água doméstica.

As considerações mais importantes ao comprar os equipamentos são a reutilização, sustentabilidade, eficiência, fácil manutenção e o custo do ciclo de vida. Os regulamentos também foram tidos em consideração mas a equipa não enfrentou quaisquer problemas ou barreiras legais. A inflamabilidade da solução de refrigeração de propano e as medidas de segurança consequentes foram discutidas com as autoridades regionais.

A tecnologia adotada apresenta uma unidade de arrefecimento baseada no princípio da ventilação fechada. Produz glicol quente e frio. A unidade de arrefecimento pode ser facilmente substituída em caso de defeito técnico. Uma unidade de arrefecimento de reserva pode ser colocada bem como para o excesso. O glicol frio é bombeado para as arcas frigoríficas, unidades de tratamento do ar e refrigeradores. O glicol quente é bombeado para o sistema de aquecimento ou para um refrigerador seco colocado no telhado.

A energia utilizada na loja é gerada a partir de fontes de energia sustentáveis, como a energia solar, energia fotovoltaica ou energia eólica, tornando as instalações ainda mais ecológicas.

Bio Planet staff member

Resultados positivos

Graças à conversão de HFC-R507 para uma solução de refrigeração à base de hidrocarbonetos, a Bio-Planet reduziu as suas emissões diretas de CO2 (CO2e) em mais de 99% nas lojas que já utilizam este sistema. Uma vez que a evaporação indireta (com um circuito de glicol) é utilizada na instalação do propano, a carga da refrigeração é menor do que a de uma instalação clássica com R507. A perda anual líquida numa instalação à base de propano também é menor quando comparada com a de um sistema à base de R507 porque o escoamento é muito mais limitado e porque as arcas de propano são construídas e testadas em fábrica, explica Bootsveld.

Quando se trata de emissões indiretas, a produção interna de energia tem um impacto positivo significativo. Devido à introdução de medidas que permitem a recuperação de calor, quando comparadas com a loja em 2015, o CO2e de 2019 sofreu uma redução de 80 ton/ano para apenas 0,16 ton/ano e nas novas lojas já não são utilizados quaisquer tipos de combustível fóssil para o aquecimento. Para além disso, é importante observar que a eficiência energética deste sistema de refrigeração, à base de refrigerantes naturais, é comparável à de um sistema à base de HFC.